Conheça 8 modelos orçamentários para aplicar em sua empresa

Conheça 8 modelos orçamentários para aplicar em sua empresa

Uma boa gestão necessita de um planejamento orçamentário que esteja devidamente alicerçado em análises de dados e índices, sempre com foco na saúde financeira da empresa. Diante desse cenário, os modelos orçamentários são fundamentais para garantir a otimização dos recursos, das vendas à produção, passando pelo estoque e logística. 

Sabendo-se que o orçamento contribui tanto com a sobrevivência de um negócio em períodos de crise quanto com novos investimentos em momentos positivos da economia, vamos mostrar neste post oito modelos que podem ser aplicados em sua empresa. Confira! 

Orçamento estático   

Indicado para empresas de pequeno e médio porte, o orçamento estático é o elaborado geralmente para um período de um ano, sem alterações no planejamento. 

Frequentemente, é produzido no último mês de um período com análise voltadas para os próximos 12 meses, sempre objetivando o controle das operações. Há espaço para possíveis mudanças de estratégias e novas tomadas de decisões. 

Orçamento flexível   

Esse orçamento é adaptável em qualquer atividade empresarial e foi elaborado justamente para impor alterações ocasionadas pelas mudanças referentes ao que foi orçado e a realidade imposta ao longo do ano. 

Dessa maneira, é possível atualizar as projeções de acordo com os valores apresentados pela empresa ao longo do período orçamentário, ou seja, ele pode ser alterado caso haja a necessidade. 

Orçamento contínuo    

Também conhecido como rolling, o contínuo é explicado por revisões mensais, trimestrais e semestrais do orçamento ao longo do ano, ou seja, as receitas e despesas são estudadas continuamente de olho nos resultados previamente estabelecidos. 

Assim, é possível verificar acertos e erros que poderão contribuir com novas projeções mais audaciosas, com o objetivo de melhorar constantemente a gestão do negócio.  

Orçamento incremental 

Trata-se de uma projeção de desempenho tendo como base o orçamento de momentos anteriores. Com isso, tendências são indicadas, mas ele geralmente necessita de um acompanhamento eficaz para que a previsão seja correta. 

Afinal, os cenários econômicos estão em constante alterações e uma notícia bombástica distante 3.000 Km daqui pode revirar as projeções de lucros em razão dos impactos na rotina dos cidadãos, das bolsas de valores, agências de risco etc. 

É visto como uma tática ágil e com menores custos, mas com riscos em razão da superficialidade.    

Orçamento ajustado  

Como o próprio nome diz, pode ser revisado, principalmente em circunstância de reviravoltas no mercado. Dessa forma, o orçamento recebe ajuste de acordo com o dia a dia da corporação. 

Conhecido também como forecast, esse orçamento impõe medidas que podem afetar toda a linha produtiva. Caso as despesas tenham sido altas em determinado período, acima das previsões, haverá a necessidade de cortes para compensar o período contrário às previsões. 

Orçamento beyond budgeting  

O termo significa “além do orçamento” e foi criado na década de 80 justamente para ajudar grandes empresas a entender o planejamento financeiro. 

É uma maneira de descentralizar a gestão, com foco no autogerenciamento e aumento da produção. Assim, o controle é bem maior e, frequentemente, conta com avaliações em períodos que variam de 12 a 18 meses. Muito comum em fábricas e bancos. 

Orçamento Base Zero  

É um orçamento que começa, literalmente, do zero.  O OBZ apaga os dados anteriores e faz um novo estudo orçamentário sem levar em conta o passado. 

É totalmente contrário aos modelos tradicionais e prioriza o custo-benefício, além da evolução dos processos, contas, projetos e atividades em geral. 

Trata-se de uma análise completa que necessita de mais tempo para ser concluída e pode ser utilizado em qualquer corporação, apesar das grandes terem mais familiaridade com esse modelo. 

Orçamento matricial 

É uma estratégia elaborada a partir de uma matriz que intercala dois eixos na definição do planejamento orçamentário. São eles: 

Custos, departamentos, despesas;

Pacotes como receitas e investimentos da empresa. 

É uma maneira de controlar as contas tendo como base as relações das entidades e seus gestores, como a apresentação de um balancete de gastos referentes a uma viagem corporativa, por exemplo.   

E aí, gostou de aprender sobre os modelos orçamentários? Aproveite e conheça os seis MBA’s oferecidos pela Conexão FGV Guarulhos e escolha o melhor para você!

0

Nenhum comentário

No comments yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.