FGV EMAp e FioCruz divulgam estimativa de risco de espalhamento da COVID-19 no Brasil

Pesquisadores da Escola de Matemática Aplicada (FGV EMAp) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgaram relatório que atualiza a análise do risco de disseminação do novo Coronavírus (COVID-19) para as microrregiões brasileiras decorrente da presença de transmissão sustentada nos dois maiores centros urbanos do país: Rio de Janeiro e São Paulo. O material faz também a identificação de microrregiões com alta vulnerabilidade social, e maior contingente de população idosa.

Segundo o estudo, os centros urbanos das regiões Sul e Sudeste têm grande probabilidade de acumular casos graves no curto prazo devido ao alto percentual de população de risco e alta conectividade com São Paulo e Rio.

O levantamento aponta que as regiões mais vulneráveis estão localizadas principalmente no Nordeste e no Norte. As microrregiões com alta probabilidade de epidemia a curto prazo, e que também possuem alta vulnerabilidade social, estão concentradas no Nordeste, nos estados do Ceará, Paraíba e Bahia.

Professor da FGV EMAp e integrante da equipe que elaborou o estudo, Flávio Codeço explica que esse relatório ainda não captou os impactos da quarentena e do isolamento social, que acabou de ser adotado nas maiores cidades do país.

“O impacto do distanciamento social e da redução de mobilidade em todo o país ainda se farão sentir ao longo dos próximos dias, mas são a nossa única arma na luta contra uma epidemia mais aguda que ultrapasse a capacidade de atendimento do nosso sistema de saúde”, explicou o professor da FGV EMAp.

O estudo completo está disponível no site.

Fonte: Portal FGV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *