O que esperar das profissões nos próximos anos?

O que esperar das profissões nos próximos anos?

No pós-pandemia, a retomada da economia será lenta, os consumidores estarão mais endividados e haverá baixo índice de confiança por parte dos investidores. Apesar de ser um cenário pouco animador, os gestores terão que encontrar alternativas para conduzir positivamente suas equipes assim como a organização dos negócios. 

A necessidade de adaptação fez grandes empresas a colocar o pé no freio, aprendendo lições que já eram praticadas nas startups, principalmente no que diz respeito à valorização e utilidade do meio digital. Para você encarar essa nova realidade, vamos apresentar neste post algumas tendências profissionais para os próximos anos. Confira!   

Atualização tecnológica  

A pandemia de coronavírus fez acelerar algumas mudanças que aconteceriam somente dentro dos próximos cinco anos, como a questão do trabalho remoto. Assim, os profissionais de todas as áreas precisam se atualizar constantemente, principalmente para aprenderem a dominar os softwares e também para conduzirem equipes por meio de reuniões online.  

Diversas plataformas foram necessárias ao longo do período de isolamento e continuarão conduzindo os trabalhos. Além disso, os gestores precisam dominar o manuseio para inspirarem seus colaboradores. Imagine ensinar algo que você não domina. Fica estranho, não é mesmo? 

Portanto, a atualização tecnológica é uma realidade que será necessária ano pós-pandemia sem sombras de dúvidas, independentemente dos rumos econômicos daqui para frente.  

Minimalismo  

O popular fazer mais com menos é outra tendência que veio para ficar. Se antes da pandemia a redução dos custos já era muito priorizada, agora é um verdadeiro alicerce das empresas.  

É uma característica tanto para gestores comerciais como para outros profissionais, inclusive utilizada na vida pessoal. Os seres humanos estão investindo mais em saúde, qualidade de vida e também na busca pelo conhecimento. 

A preocupação em poupar aumentou com a crise do coronavírus, ou seja, os conceitos minimalistas estão no rol das expectativas para o futuro. Aliás, já fazem parte do presente. E também não podemos deixar de lado a conscientização.  

Desenvolvimento de novas habilidades 

Os profissionais que entrarem na zona de conforto daqui em diante vão não só ficar para trás como perderão seus postos de trabalho. 

A crise impôs a busca constante por novas habilidades, que vão desde inteligência emocional até feedbacks remotos, passando por gestão do tempo e utilização de métricas para analisar os resultados. 

Dessa maneira, o aprendizado deve ser priorizado, como o obtido em um MBA ou pós-graduação, por exemplo. Afinal, novas crises podem surgir e, com elas, mais desafios. Portanto, nada melhor do que o conhecimento necessário em cada época. 

Trata-se do chamado lifelong learning, que valoriza ainda a agilidade e a reinvenção em sintonia com o pleno desenvolvimento humano e profissional. Assim, pessoas e organizações estarão mantendo a sobrevivência diante de uma realidade extremamente competitiva e exigente. 

Especializações em alta    

Dentro dessa questão de lifelong learning, a principal dica é nunca parar de estudar. Dessa maneira, busque os cursos estejam sintonizados com a sua área, como o MBA em gestão comercial ou gestão empresarial. 

Além de ficar bem atualizado, você ainda terá um networking adequado para novos aprendizados e até mesmo uma possível oportunidade de crescimento profissional. 

E aí, gostou do nosso post? Quer acompanhar as nossas postagens? Então aproveite e curta agora mesmo a nossa página no Facebook! 

0

Nenhum comentário

No comments yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.